Nova sala no Serviço de Terapia Celular

Trata-se de um tratamento destinado a doentes com patologias raras como o Linfoma Cutâneo e a Doença de Enxerto contra Hospedeiro, a qual pode surgir após transplante de medula. A nova sala dispõe de três unidades de tratamento e implicou um investimento importante em termos de equipamentos e infra-estruturas.

O procedimento implica a utilização de um separador celular para realização da colheita de sangue ao doente através de um processo chamado citaferese, seguidamente faz-se a adição de uma substância fotoativadora à suspensão celular e iluminação da mesma com luz ultravioleta A, e posteriormente a reinfusão no doente.

O Serviço possui dois tipos de equipamentos e duas metodologias diferentes que apresentam vantagens distintas nos vários doentes, nomeadamente, elevada segurança, adesão fácil à terapêutica e melhoria da sintomatologia apresentada.