Estes projetos visam, também, estudar os efeitos psicológicos da doença, procurando melhorar o acompanhamento do doente, aumentando o seu conforto e proporcionando as ferramentas para uma melhor qualidade de vida. Neste momento, existem dois projetos de investigação a decorrer no IPO-Porto.

Projeto: Early-stage Cancer Treatment in the Context of Molecular Imaging (Estima)

O projecto “Early stage cancer treatment, driven by context of molecular imaging (ESTIMA)” (NORTE-01-0145-FEDER-000027) tem como objectivo desenvolver um modelo multidisciplinar predictivo de uma resposta completa após radioquimioterapia neoadjuvante de doentes com cancro esofágico. Embora este estudo não modifique a actual abordagem do tratamento, o conhecimento da resposta individual poderá permitir futuramente uma abordagem personalizada de cada doente, evitando intervenções cirúrgicas desnecessárias em doentes com resposta completa e todas as co-morbilidades e perda de qualidade de vida associadas. O projecto conta com a participação de vários investigadores da instituição e também dos vários grupos associados ao Centro de Investigação do Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil, assim como com uma colaboração estreita com o Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra. O projecto possui duas linhas principais de acção: uma linha de diagnóstico, em que as imagens obtidas por tomografia por emissão de positrões (PET/CT) são analisadas utilizando algoritmos avançados (“data mining”, redes neuronais, “deep learning”). Uma segunda linha pretende investigar vários tipos de biomarcadores que condicionem a resposta à terapêutica. Como parte fundamental do projecto, pretende-se também optimizar a deposição de dose de radiação nestes tumores pelo novo acelerador linear Varian TrueBeam, para o qual já se conseguiram simular por métodos avançados de Monte Carlo, tratamentos de radioterapia volumétrica (VMAT). Foram já apresentadas ou encontram-se aceites para apresentação, várias comunicações em congressos nacionais e internacionais.

Artigos publicados e submetidos:

  • Nogeira M. Abreu P., Martins P., Machado P., Duarte H., Santos J.A.M., “An artificial neural networks approach for assessment treatment response in oncological patients using PET/CT images”, BMC Medical Imaging, (2017) 17:13 (publicado)
  • Santos M.S., Soares J.P., Henriques Abreu P., Araújo H., Santos J. (2017) Influence of Data Distribution in Missing Data Imputation. In: ten Teije A., Popow C., Holmes J., Sacchi L. (eds) Artificial Intelligence in Medicine. AIME 2017. Lecture Notes in Computer Science, vol 10259. Springer, Cham (apresentado na AIME 2017 e artigo publicado)
  • Amorim J.P., Ines Domingues, I. P.H. Abreu, J. Santos “Interpreting Deep Learning Models for Ordinal Problems”, ESANN 2018 (artigo aceite para publicação na revista “Neurocomputing”)
  • Oliveira J., Esposito A., Santos, J., Configuration of volumetric arc radiotherapy simulations using PRIMO software: a feasibility study, 2018 World Congress on Medical Physics and Biomedical Engineering, Praga 2018 (apresentação aceite e artigo submetido)
  • Natália R. Costa, Rui M. Gil da Costa, Rui Medeiros, “A viral map of gastrointestinal cancers”, Life Sciences (available online 21 February 2018)

Outras acções de divulgação:

  • “Early-stage cancer treatment, driven by context of molecular imaging (ESTIMA)” J.A.M.Santos. Reunião científica do CI/EPOP do IPO-Porto, 28 de Outubro de 2016
  • Simpósio Satélite Projeto Estima: IPO Porto – Early-stage Cancer treatment Driven by Context of Molecular imaging – Carcinoma do Trato Gastrointestinal, Palestrante: Olga Pinto, VI Congresso da Sociedade Portuguesa Radioterapia Oncologia, IPO PORTO, 2 e 3 de Junho de 2017

Ficha Técnica do Projeto

 

Projeto: ODISSEIA – Oncology Disease Information System

O projeto ODISSEIA – Oncology Disease Information System tem por base o suporte à colaboração e partilha de conhecimento entre todos os atores envolvidos na prevenção, no diagnóstico, no tratamento e investigação em cancro no Norte do País – âmbito RORENO, bem como a recolha, processamento e disponibilização de informação para os múltiplos “clientes” de toda a rede.

A responsabilidade institucional de ser um centro de acumulação, transformação e difusão do conhecimento avançado em cancro, bem como a garantia de tratamento adequado e liberdade de escolha informada são os valores subjacentes à realização do projeto ODISSEIA.

O projeto tem um prazo estimado de dois anos e um financiamento de 2 milhões de euros. O projeto ODISSEIA visa a criação de uma info-estrutura que estabelecerá as ferramentas básicas para uma governação da oncologia ao nível regional, em benefício dos doentes, da otimização de resposta do SNS e da sustentabilidade.