Serviço de Anatomia Patológica

O Serviço de Anatomia Patológica (SAP) tem por missão principal o diagnóstico morfológico realizado em material clínico de doentes inscritos no IPO-Porto, bem como a avaliação de características lesionais que contenham informação relevante para a decisão terapêutica e a definição do prognóstico. Igualmente, o SAP realiza autópsias a pacientes falecidos no IPO-Porto, para esclarecimento da causa de morte e documentação clínica.

Atendendo à multidisciplinaridade que caracteriza atualmente a abordagem do doente oncológico, o SAP fomenta ativamente a interação com os Serviços das áreas clínicas através da participação ativa dos seus elementos nas Clínicas de Patologia e da realização de reuniões anatomo-clínicas periódicas.

Simultaneamente, o SAP está envolvido na formação de recursos humanos, nomeadamente a formação pós-graduada no âmbito do Internato Complementar em Anatomia Patológica e de outras Especialidades, colaboração docente com diversas Instituições de ensino, com particular destaque para a Universidade do Porto (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e Faculdade de Medicina), em programas de estudos conducentes à obtenção de graus de Licenciatura, Mestrado e Doutoramento, e na formação pré-profissional de Médicos e Técnicos de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica.

Finalmente, o SAP promove o desenvolvimento de atividade de investigação científica na área da Oncologia e da Patologia Molecular, em estreita colaboração com o Centro de Investigação do IPO-Porto.

Este serviço tem como objetivos:

  • Reforçar o investimento na formação dos recursos humanos, promovendo a formação contínua e permitindo o intercâmbio com centros de referência a nível nacional e internacional. Possibilitando, desta forma, a implementação de práticas de trabalho que permitam aumentar a qualidade do serviço prestado e o aperfeiçoamento e desenvolvimento das competências individuais
  • Incrementar a colaboração com os Serviços Clínicos, otimizando os procedimentos de diagnóstico e os tempos de resposta, de forma a contribuir para o aumento da eficácia e dos índices de satisfação dos utentes a nível institucional
  • Participar em atividades de prestação de serviços à comunidade, reforçando a imagem da Instituição junto dos prestadores e utentes dos cuidados de saúde, nomeadamente os programas de rastreio oncológico (cancro do colo uterino)
  • Promover a participação dos Médicos e Técnicos do Serviço em atividades de docência e de investigação científica, ao abrigo dos protocolos de colaboração inter-institucional vigentes, permitindo incorporar a inovação tecnológica e científica nas rotinas de trabalho assistencial
  • Fomentar uma cultura de racionalização dos gastos de funcionamento, através da monitorização periódica e do estímulo individualizado de boas práticas, permitindo utilizar de forma eficiente os recursos disponíveis, simplificando processos produtivos e orientando a prestação do serviço no sentido da obtenção de ganhos em qualidade
  • Motivar um ambiente de trabalho favorável ao desenvolvimento integral, ao nível profissional e humano, de todos os elementos do Serviço, permitindo a manutenção de boas condições psicossociais de trabalho

O SAP pretende afirmar-se no contexto regional e nacional como referência em diversas áreas da Patologia Oncológica, através do incremento da proficiência técnica e científica dos seus elementos, da participação ativa em projetos multi-institucionais e da divulgação adequada da sua atividade. Neste contexto, a promoção e garantia da qualidade em todos os procedimentos realizados no Serviço são pressupostos de base para a prossecução destas atividades

Serviços:
  • Histopatologia
  • Citopatologia
  • Necrópsia
  • Imunocitoquímica

 

Banco de Tumores

O Banco de Tumores do IPO-Porto está localizado no Serviço de Anatomia Patológica. Esta unidade funcional do Instituto permite a colheita, armazenamento e utilização de tecidos excedentários para investigação biomédica.

O Banco de Tumores, inaugurado em setembro de 2012, vem cumprir uma das principais missões do IPO-Porto: a investigação sobre o cancro. Assim, o IPO-Porto, mediante a prévia autorização escrita do doente, recolhe pequenas amostras de tecido tumoral para, assim, melhorar a compreensão e o tratamento do cancro.

Qual a finalidade do banco de tumores?

Os avanços da Medicina estão dependentes da investigação científica e, cumulativamente, a investigação científica necessita de tecidos humanos normais e patológicos para cumprir os seus objetivos.

O IPO-Porto pretende dotar o Banco de Tumores de amostras que não sejam necessárias para o diagnóstico e/ou tratamento dos doentes e que poderão vir a ser utilizadas para investigação biomédica, respeitando-se o princípio da confidencialidade e anonimato. Não haverá comercialização dos tecidos colhidos e não é objetivo do Banco de Tumores a criação de um Banco de Dados Genéticos.

Descrição do processo

A colheita de tecidos/líquidos dos doentes do IPO-Porto realiza-se com fins de diagnóstico e/ou tratamento. Frequentemente, não se estuda a totalidade do material obtido, do qual se obtém amostras representativas do processo lesional.

Após esta colheita, o material excedentário é normalmente destruído. Contudo, o mesmo pode ser de valor inestimável para a investigação biomédica e, assim, contribuir para o melhor conhecimento das doenças.

Parte desse material excedentário pode ser estudado por diversas técnicas, desde que esteja adequadamente conservado num Banco de Tumores. A informação referente a este material será tratada de forma confidencial e anónima. A autorização dada pelo doente para os fins expostos é voluntária e altruísta.

Os riscos

A utilização deste material não implica nenhum risco para o doente, não modifica o ato cirúrgico, nem influência a terapêutica subsequente, salvaguardando-se, em todos os casos, os procedimentos idóneos para o diagnóstico correto do processo lesional. A eventual recusa do doente em anuir a esta solicitação em nada colocará em causa a assistência e acompanhamento médicos que lhe são devidos como utente.

No futuro, os investigadores que realizem os estudos podem ter necessidade de ter informações sobre o seu estado de saúde, pelo que poderão ter de consultar o seu processo clínico. O IPO-Porto promoverá todos os esforços necessários para manter a sua privacidade. Como doente do IPO-Porto, a privacidade e a confidencialidade das informações sobre cada caso clínico são muito importantes para a Instituição.

A participação na investigação pode ser uma contribuição fundamental para os esforços do Instituto na procura da cura para o cancro e para melhorar a assistência médica aos doentes com cancro.

equipa

Serviço de Anatomia Patológica
Diretor de Serviço
Dr. Rui Henrique
Enfermeiro Chefe
Enf. Maria do Amparo Diegues da Silva

contactos

telefone
225 084 000
fax
225 084 047
localização
Edifício de Radioterapia, piso 1