Serviço de Imuno-Hemoterapia

O Serviço de Imuno-Hemoterapia está vocacionado para a implementação de metodologias técnico-científicas de modo a assegurar a qualidade e segurança do ato transfusional em oncologia, e intervir no diagnóstico e terapêutica de situações clínicas definidas como do âmbito da especialidade de Imuno-Hemoterapia.

Intervém a nível da prestação de cuidados, formação, ensino e colabora, quando solicitado, em protocolos de investigação.

Esta valência do IPO-Porto está certificada de acordo com o referencial normativo NP EN ISO 9001:2008 pela APCER e encontra-se autorizada para exercício de funções pela Autoridade para os Serviços de Sangue e Transplantação.

O Serviço de Imuno-Hemoterapia pretende ser reconhecido como referência no suporte transfusional específico do doente oncológico, transmitindo confiança à comunidade nos componentes sanguíneos que disponibiliza e nos serviços de índole clínica que presta, de forma integrada com os avanços científicos da Oncologia.

Tem como objetivos:

  • Ser reconhecido a nível nacional como uma referência na profilaxia e tratamento de doença tromboembolica venosa associada à doença oncológica
  • Corresponder às expectativas dos médicos requisitantes através da área de diagnóstico laboratorial
  • Pretende transmitir confiança no atendimento a dadores benévolos, garantindo a fidelização de dadores jovens e a manutenção de um ficheiro de dadores regulares

Todas estas metas devem ser conseguidas através de um comprometimento de adesão a metodologias de qualidade, simples e inovadoras. Através da formação e investigação devem permitir a aplicação das melhores práticas em que a humanização dos cuidados deve ser privilegiada.

O serviço de Imuno-Hemoterapia rege-se por valores de excelência, qualidade, criatividade e sustentabilidade tendo como foco os doentes, os dadores e os profissionais.

No que à política de qualidade diz respeito esta valência do IPO-Porto tem como metas:

  • A evolução do ponto de vista técnico e científico para obtenção de um elevado nível de qualidade em todos os procedimentos analíticos e ações de índole clínica, através da utilização da tecnologia adequada e formação continuada dos profissionais
  • Permitir uma acessibilidade fácil e proporcionar o diagnóstico e tratamento de doentes em tempo oportuno
  • Monitorizar continuamente o desempenho através da análise dos resultados de controlo da qualidade, do acompanhamento dos indicadores, da realização de auditorias internas e externas da Qualidade, da avaliação da perceção dos utentes e Serviços Clínicos da Instituição relativamente aos serviços prestados por este Serviço
  • Assegurar o cumprimento de todos os requisitos legais e de qualidade científica nos procedimentos relacionados com a cadeia transfusional de forma a disponibilizar componentes sanguíneos para transfusão inócuos à luz dos conhecimentos atuais, cooperando no tratamento multidisciplinar do doente oncológico
  • Garantir a informação clínica necessária à interpretação e disponibilidade dos resultados analíticos nas áreas da Trombose e Hemostase, Serologia Vírica e Imuno-Hematologia, através da divulgação dos procedimentos do Serviço relacionados com pedidos dos Serviços Assistenciais
  • Manter um ambiente de trabalho saudável onde os profissionais sejam valorizados e o seu esforço reconhecido
  • Promover a formação de modo a melhorar a compreensão da Medicina Transfusional a nível institucional
  • Ser uma referência na formação de especialistas em Imuno-Hemoterapia.
  • Melhorar a qualidade, eficiência e eficácia dos cuidados prestados pelo Serviço
  • Desenvolver os procedimentos necessários para garantir a execução do programa de hemovigilância da Instituição, de forma articulada com as diretrizes nacionais e da Comunidade Europeia
Serviços:
  • Dádiva de Sangue e Componentes /Aférese:

Considerando que a prática clínica da medicina transfusional assenta nos princípios da dádiva voluntária, anónima e não remunerada, é dado, pelo Serviço uma atenção especial à área da dádiva de sangue. Toda a atividade exercida é fundamentada em bases de ordem clínica e científica e as implicações em termos de opinião pública transformam-na numa área vulnerável do ponto de vista mediático. Assim, e para um correto funcionamento do setor é necessário o envolvimento empenhado de todos os grupos profissionais que constituem o Serviço e uma sensibilização da Instituição que facilite o bom acolhimento do dador de sangue que de forma altruísta presta um serviço à comunidade.

  • Laboratório de Separação de Componentes Sanguíneos:

Responsabiliza-se pela separação em componentes celulares das unidades de sangue homólogo colhidas no Serviço de Imuno-Hemoterapia. Disponibiliza todos os componentes para transfusão após validação pelos diversos laboratórios. De uma forma genérica, estão atribuídas a este laboratório as seguintes funções:

  1. Receção e avaliação do estado do sangue total no que se refere a condições de armazenamento
  2. Separação de sangue total para obtenção em concentrados de eritrócitos desleucocitados e de concentrados de plaquetas
  3. Distribuição ao Laboratório de Imuno-hematologia dos componentes após validação e rotulagem
  • Laboratório de Controlo da Qualidade dos Componentes Sanguíneos:

Trabalha de uma forma coordenada com o Laboratório de Separação de Componentes. Tem uma área de intervenção fundamental para a garantia de qualidade dos componentes produzidos e estão-lhe atribuídas as seguintes funções:

  1. Realizar o controlo da qualidade dos componentes sanguíneos preparados no Serviço
  2. Verificar de forma continuada as condições de funcionamento do equipamento necessário aos procedimentos de colheita, separação e armazenamento de sangue e derivados
  3. Diagnosticar as causas de não conformidades detetadas no processamento e aplicar todas as ações corretivas consideradas necessárias à garantia de qualidade
  • Laboratório de Imuno-Hematologia:

Tem como funções a execução de todos os procedimentos necessários ao envio de componentes ou produtos sanguíneos com fins terapêuticos. Além da forte componente laboratorial, tem uma atividade clínica diversificada da responsabilidade do médico hemoterapeuta, que passa não só pela deteção de situações passíveis de serem tratadas sem recurso à terapêutica com sangue, como pela investigação diagnóstica e terapêutica de reações transfusionais e de anemias hemolíticas auto-imunes. Participa ativamente no tratamento de situações de choque hipovolémico e transfusão maciça, constituindo-se par na equipa multidisciplinar que lida com estas situações.

  • Hospital de Dia de Hemoterapia:

A missão principal deste Hospital de Dia é a de garantir com qualidade e segurança a atividade transfusional programada e não programada, em regime ambulatório a doentes da Instituição que não necessitem de outras terapêuticas endovenosas para além do suporte transfusional. A criação desta alternativa tem como principal objetivo a organização e o controlo do processo transfusional ambulatório de modo a diminuir o tempo de permanência do doente na Instituição e a sistematizar procedimentos e garantir a vigilância médica mais direta.

  • Aférese Terapêutica:

Sempre solicitado, e mediante indicação clínica, o Serviço de Imuno-Hemoterapia realiza procedimentos de aférese com finalidade terapêutica nomeadamente plasmaférese e leucafereses terapêuticas.

  • Laboratório de Serologia Vírica:

A segurança dos componentes a transfundir assenta numa estrutura laboratorial bem organizada, automatizada e com tecnologia adequada para rastreio e diagnóstico de doenças transmissíveis pelo sangue. O Laboratório de Serologia Vírica dá cumprimento à legislação em vigor em matéria de deteção de doenças víricas passíveis de transmissão através da terapêutica transfusional assim como, e pelo mesmo motivo realiza testes serológicos de sífilis. Aproveitando a capacidade tecnológica instalada, este laboratório é responsável pela realização de testes de serologia vírica aos doentes da Instituição. É um laboratório com intervenção médica a vários níveis, quer no que se refere aos procedimentos relativos a dadores quer a doentes.

  • Laboratório de Trombose e Hemostase:

É uma unidade laboratorial com capacidade de diagnóstico na área da trombose e hemostase que intervém precocemente no diagnóstico de patologias ou condições hemorrágicas com rápida resposta terapêutica. Está vocacionado para o estudo laboratorial de patologia adquirida com prática no diagnóstico de condições associadas à doença oncológica nomeadamente na área da trombose e fibrinólise. Garante a avaliação de estudos de hemostase com finalidade pré-operatória, do estudo laboratorial de discrasias sanguíneas e de estados de trombofilia. É ainda responsável pelo controlo laboratorial de terapêuticas antitrombóticas.

  • Consulta de Imuno-Hemoterapia:

Os doentes observados e tratados na Consulta de Imuno-Hemoterapia são, na sua maioria, doentes com patologia de foro trombótico associada ou consequente à doença oncológica. Esta consulta funciona todos os dias úteis, em dois períodos, e responsabiliza-se pela avaliação diagnostica e pelo controlo de terapêutica antitrombótica. Recorre à determinação da razão normalizada internacional em amostra colhida por punção digital. Não tem lista de espera significativa e facilita a acessibilidade aos doentes que, realizando terapêutica antitrombótica, têm procedimentos cirúrgicos ou atos médicos invasivos programados. Os doentes com indicação para estudos de trombofilia estão também referenciados nesta consulta que se responsabiliza pelo diagnóstico e eventual orientação terapêutica. Responsabiliza-se ainda pela orientação diagnóstica e terapêutica de doentes com patologias do âmbito da Imuno-Hemoterapia, nomeadamente citopenias imunes e patologia hematológica (benigna) ou secundária a doença oncológica.

equipa

Serviço de Imuno-Hemoterapia
Diretor de Serviço
Drª. Luísa Lopes dos Santos

contactos

telefone
225 084 052
fax
225 084 001
localização
Edifício dos Laboratórios, piso 2